Sair do Brasil ou não - além do modismo

Desde 2012 diversos dos meus colegas de profissão deixaram o país. Só pra eu ter uma ideia, essa é uma lista de conhecidos diretos e os países respectivos:

  • 20 nos EUA
  • 2 em Berlim
  • 10 em Dublin
  • 3 na Suécia
  • 2 em Londres
  • 5 em Portugal
  • 1 na Nova Zelândia

Dado que a tendência é querer sair do Brasil, meu objetivo principal aqui é o contrário: te convencer de que não só pode ser uma ideia ruim, como ficar no país - apesar de todos os problemas - pode ser a melhor escolha pra você.

Apartamento ou casa?

Devido a pandemia, assim como você também, fui obrigado a passar muito mais tempo em casa. Nisso, comecei a perceber defeitos no meu apartamento que simplesmente não prestava atenção na época em que passava mais tempo no escritório do que em casa. O principal defeito do meu apartamento é muito simples: ele não é uma casa.

Numa casa, acredito, seria muito mais fácil lidar com a pandemia. Ao invés de olhar o mundo pela janela, com pouquíssimo contato com o Sol, poderia simplesmente abrir a porta, caminhar e pegar quanto Sol eu quisesse.

Mudar para uma casa parecia óbvio pra mim, até que eu tive um insight: sim, é verdade que uma casa tem muitas vantagens se compararmos com um apartamento. O problema é que esquecemos tudo o que vamos abrir mão mudando para uma casa. Existe uma escolha ímplicita, um trade-off que raramente pensamos. Quando queremos uma mudança, focamos no positivo e ignoramos o negativo.

Em outras palavras, tomei como garantido que todas as vantagens que tenho ao morar num apartamento seriam iguais numa casa. E isso simplesmente não é verdade.

Esse ponto é importante.

Quando pensamos em sair do país para, por exemplo, ir para os Estados Unidos, automaticamente imaginamos:

  • Segurança
  • Comprar iPhone barato
  • Ganhar mais
  • Empresas melhores

E isso tudo é verdade, mas esquecemos de olhar o outro lado:

  • Sofrer preconceito
  • Sistema de saúde caótico
  • Frio (você acha que gosta dele)
  • Americanos são diferentes dos brasileiros

É evidente que os pontos positivos pra uma pessoa podem ser negativos pra outra, e vice-versa. Os exemplos citados acima são só isso, exemplos. O meu ponto principal é: veja o quadro completo ao cogitar sair do país, não pense que todas as coisas boas que tem no Brasil - e são muitas! - você também experimentará lá fora.

Solidão

Quando me mudei para São Paulo, entre 2015 e 2016, eu odiava feriados. Ficar sozinho, longe da família e amigos, e sem o trabalho para ocupar o tempo era terrível para mim. Isso porque eu voltava de 2 em 2 semanas para o Rio. Não consigo nem imaginar ficar sozinho em outro país e só voltar para casa uma vez por ano.

Claro, muitas pessoas são diferentes de mim e não vêem nenhum problema em ficar sozinho. Mas se você se identifica, deveria reconsiderar ir para outro país, ou ter um plano claro para quando a solidão bater.

E se o problema não for externo?

Esse último ponto é mais filosófico, mas o argumento aqui é que muitos confudem a fase ruim que o Brasil vive com a fase ruim que você vive. São duas coisas separadas.

Pra algumas pessoas, de fato, tudo está em ordem e bastaria mudar uma única coisa que elas automaticamente ficariam felizes, e essa coisa é sair do país. Acredito porém, que esse caso é a minoria.

Vejo que a maioria das pessoas acha que está infeliz porque está no Brasil, mas os principais problemas são internos. Sair do país para essa pessoa não vai fazer a menor diferença - enquanto ela não resolver suas questões internas. Na verdade, uma psicóloga para essa pessoa seria de muito mais valor do que ir para Toronto.

Considerações finais

Com tudo o que foi dito, não quero te desencorajar de sair do país. Apenas quero mostrar o outro lado para que a sua decisão seja mais completa. Eu mesmo ainda considero com certa frequência ir pros EUA. E se você for, boa sorte e que a sua experiência seja excelente!